encomendas by Rita Pinheiro

Estas foram três, das já terminadas, muito poucas encomendas que consegui aceitar para este natal. Tenho pena, porque gosto de satisfazer todos os pedidos, mas devido a todas as circunstâncias felizes este ano foi impossível. Quanto a feiras de natal - Pelas mesmas razões, também não vou poder participar em nenhuma, no entanto, para quem quiser, ainda tenho algumas peças disponíveis na loja.

 (translater)

viver no centro by Rita Pinheiro

Houve um tempo em que pensávamos que viver no campo é que era. Eu andava entusiasticamente a ler livros sobre agricultura biológica e a sonhar com uma horta e grandes canteiros de flores. Depois fomos viver para o Alentejo mas não foi possível concretizar o sonho de viver no meio do campo, no entanto, essa experiência fez-nos perceber, entre outras coisas, que embora não queiramos viver numa grande cidade, somos muito mais urbanos do que julgávamos, nos gostos, nos costumes, na maneira de agir. Continuo a adorar o campo mas pelo menos para já não é para viver Em Tomar, agora, finalmente, vivemos no centro da cidade e faz toda a diferença. O carro fica parado dias e dias sem sair do lugar, tudo se faz mais rápido e a pé. E quando a Luísa está com a birra, chateada com a difícil vida de bebé, vamos espairecer até ao parque do mouchão ver as árvores

(translater)

Dezembro! já?! by Rita Pinheiro

A reorganização e arrumação ainda não estão terminadas. De cada vez que mudamos de casa não deixo de ficar espantada com a enormidade de coisas que acumulamos. As coisas que fazem falta, as coisas que não fazem falta mas que importam, e ainda, as coisas que pelas circunstâncias e características de cada casa temos que adquirir ou dispensar ( leia-se guardar na casa dos pais que têm mais espaço). Tudo isso faz com que cada mudança seja mais complicada e morosa. De tantas vezes que já mudamos penso que nos estamos a tornar experimentadores de casas profissionais -Existisse essa profissão...Também é verdade que há quem tenha pancadas mais fortes :)

(translater)