A Última do ano? / by Rita Pinheiro

Já é um clássico - Quase todos os anos fotografo a minha Hoya.

A planta em si, parece não se desenvolver muito de ano para ano (o meu ponto de comparação é a da minha avó, que é enorme, embora a minha seja filha da dela) mas não há ano em que não dê  flores. E são sempre tão bonitas e perfeitas e tantas e durante tanto tempo. O mais fantástico,  é que quando parece que já não vai dar mais, lá surge outra. Devo dizer que a minha mora dentro de casa, na cozinha; isto para quem é sensível a cheiros intensos penso ser totalmente desaconselhável... cheira bem, mas têm um cheiro muito doce  e forte, acentuado pelo calor do verão (felizmente é só à noite)

A minha avó ensino-me e eu sigo à risca - Nunca cortar o pé onde nascem as flores. Do mesmo pé nascem consecutivamente no mesmo ano, durante o longo período de floração, muitas  mais flores e assim ano após ano